Gestão Pública News

Tribunais de Contas

TCE exige ordem cronológica de dívidas deixadas por Mauro em Cuiabá
06 de Dezembro de 2017 ás 14:17 -

Empresa alega que foi preterida em pagamentos por serviços prestados ao município

TCE exige ordem cronológica de dívidas deixadas por Mauro em Cuiabá

DO FOLHAMAX

A conselheiro substituta Jaqueline Maria Jacobsen Marques, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), determinou que o secretário de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, Wilton Coelho Pereira, envie num prazo de 15 dias documentos que comprovem um crédito de R$ 35.925,40 mil em favor da empresa Gasolini Comércio e Serviços, que acusa a prefeitura da Capital de não pagamento por serviços prestados. A determinação é do mês de outubro . A conselheira também exigiu o enviou da “ordem cronológica dos restos a pagar” oriundos de dívidas da gestão do ex-prefeito Mauro Mendes (PSB). De acordo com informações do processo administrativo, a Gasolini Comércio e Serviços possui os R$ 35.925,40 mil contabilizados a título de restos a pagar por parte da prefeitura de Cuiabá.

A empresa alega que teve o crédito “preterido”. A Secretaria de Controle Externo de Obras e Serviços de Engenharia (Secex) e o Ministério Público de Contas (MPC), ambos ligados ao TCE-MT, manifestaram-se pelo “não conhecimento da representação externa, uma vez que segundo os auditores não preenche os “requisitos de admissibilidade”.

No entanto, a conselheira reconheceu que a "eventual inadimplência no pagamento de débitos pelas eepresentadas, não é matéria de competência deste Tribunal de Contas, pois, ao órgão de controle externo não compete tutelar interesses privados, porém disse que a fiscalização da ordem cronológica dos pagamentos de restos a pagar “é da competência do Tribunal”.  “Após prévia análise, verifico que a eventual inadimplência no pagamento de débitos pelas Representadas, não é matéria de competência deste Tribunal de Contas, pois, ao órgão de controle externo não compete tutelar interesses privados. Assim, concordo com a Equipe Técnica quando informa que a Representante possui a faculdade de recorrer-se ao Judiciário, por meio de ação adequada, para reaver o seu crédito. No entanto, no meu entendimento, ressalto, a fiscalização da suposta inobservância da ordem cronológica de pagamento dos créditos pendentes da Empresa Representante junto às Representadas é da competência deste Tribunal”, fundamentou.

Mauro Mendes deixou o cargo em janeiro deste ano. Ele entreou o palácio Alencastro com R$ 57,8 milhões ao sucessor Emanuel Pinheiro.

Nenhum Comentário

Últimas notícias

  1. Comper indenizará em R$ 10 mil cliente que teve notebook furtado em estacionamento

    Justiça

    (13:02) Comper indenizará em R$ 10 mil cliente que teve notebook furtado em estacionamento

    A juíza Olinda de Quadros Castrillon, da Décima Primeira Vara Cível, julgou procedente ação de um cliente que processou os Supermercados Comper após ter seu notebook furtado no estacionamento do estabelecimento.

  2. Justiça nega desbloquear imóvel de ex-secretário de Estado em ação por improbidade; MP pede R$ 8,8 milhões

    Justiça

    (13:00) Justiça nega desbloquear imóvel de ex-secretário de Estado em ação por improbidade; MP pede R$ 8,8 milhões

    O juizado da Vara Especializada Ação Civil Pública e Popular negou liberação de um imóvel pertencente ao ex-secretário de Estado de Fazenda Fausto de Souza Faria.

  3. PF cumpre mandados contra advogados e servidores acusados de fraudar INSS; cego é flagrado dirigindo

    Justiça

    (12:59) PF cumpre mandados contra advogados e servidores acusados de fraudar INSS; cego é flagrado dirigindo

    A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (12), a Operação Pandora, que investiga a fraude na obtenção de benefícios previdenciários deferidos judicialmente na comarca de Dionísio Cerqueira (SC).

  4. STJ nega autorização para major em MT passar um mês em Portugal em batizado

    Justiça

    (12:57) STJ nega autorização para major em MT passar um mês em Portugal em batizado

    Ferronato teria oferecido promoção a um tenente coronel, que é delator da Operação Esdras

Copyright @ Gestão Pública News - 2009 - Todos Direitos Reservados