Gestão Pública News

Justiça

STF barra acesso de ex-executivo de banco a inquérito sigiloso
05 de Dezembro de 2017 ás 13:36 -

José Bezerra de Menezes, do BicBanco, é acusado de lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta

STF barra acesso de ex-executivo de banco a inquérito sigiloso

DA REDAÇÃO - MIDIANEWS

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou ao ex-presidente do Bic Banco (que foi comprado pelo China Construction Bank), José Bezerra de Menezes, o direito de acessar procedimentos sigilosos derivados da Operação Malebolge - 12ª fase da Operação Ararath -, deflagrada em setembro.

Na decisão, do dia 27 de novembro, porém, Fux autorizou que o executivo acesse os procedimentos que não estejam protegidos por sigilo judicial.

José Menezes é um dos alvos da operação e teve sua residência vasculhada pela Polícia Federal, durante o cumprimento de mandados de busca.

A operação teve como base as delações do ex-governador Silval Barbosa (sem partido), do ex-secretário Pedro Nadaf e dos empresário Júnior Mendonça e Genir Martelli.

O ex-presidente do Bic Banco é suspeito de participação em crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta de instituição financeira e crimes contra a ordem tributária.

De acordo com as investigações, ele teria integrado o esquema já em 2006, durante o Governo de Blairo Maggi (PP), senador licenciado e atual ministro da Agricultura.

À época, segundo a delação de Silval, várias construtoras tinham créditos junto ao Governo do Estado, decorrentes de obras de infraestrutura, no valor aproximado de R$ 130 milhões.

O Governo, no entanto, não tinha disponibilidade orçamentária para quitar tais débitos. Tampouco cabe o acolhimento da pretensão quanto a procedimentos que ainda abriguem medidas investigatórias em curso e cujo sigilo, por esta razão, não tenha sido levantado

Foi então que Blairo Maggi e o ex-secretário de Estado Eder Moraes se reuniram com José Bezerra de Menezes, e acordaram que o Bic Banco iria conceder empréstimos em favor das construtoras que tinham valores a receber do Estado.

Segundo Silval, após o acordo, o Bic Banco passou a conceder os empréstimos sempre que houvesse a solicitação por parte do secretário Eder Moraes. Os empréstimos, no entanto, eram feitos à margem do Banco Central e sem que as construtoras fornecessem garantias de pagamento, além de terem sido pagos com dinheiro desviado e oriundos de propina

Na solicitação ao STF, o executivo do banco alegou que, como as investigações da operação se subdividiram em várias frentes, sua defesa teve restrito o amplo acesso às apurações que o envolvem.

Desta forma, ele requereu o acesso a todo o material investigativo já existente sobre o caso.

Já a Procuradoria-Geral da República opinou pela concessão do acesso ao inquérito que resultou na busca contra José Menezes, “sem extensão a outros não expressamente indicados no pedido e, sobretudo, a eventuais procedimentos que estejam protegidos por sigilo ou segredo de Justiça”.

Atendimento parcial

Na decisão, o ministro Luiz Fux concordou com o parecer da PGR e afirmou que não é possível conceder o acesso a procedimentos investigatórios “cujo número não tenha sido expressamente indicado no pedido”.

“Tampouco cabe o acolhimento da pretensão quanto a procedimentos que ainda abriguem medidas investigatórias em curso e cujo sigilo, por esta razão, não tenha sido levantado”.

Assim, Fux autorizou que o ex-presidente do Bic Banco tenha acesso tão-somente aos procedimentos cujo sigilo já tenha sido levantado, “mediante a indicação precisa do respectivo número de identificação”.

“Ex positis, por ora, defiro o pedido de vista formulado nas fls. 216/217 estritamente no que condiz aos presentes autos”, decidiu o ministro.  

Nenhum Comentário

Últimas notícias

  1. Comper indenizará em R$ 10 mil cliente que teve notebook furtado em estacionamento

    Justiça

    (13:02) Comper indenizará em R$ 10 mil cliente que teve notebook furtado em estacionamento

    A juíza Olinda de Quadros Castrillon, da Décima Primeira Vara Cível, julgou procedente ação de um cliente que processou os Supermercados Comper após ter seu notebook furtado no estacionamento do estabelecimento.

  2. Justiça nega desbloquear imóvel de ex-secretário de Estado em ação por improbidade; MP pede R$ 8,8 milhões

    Justiça

    (13:00) Justiça nega desbloquear imóvel de ex-secretário de Estado em ação por improbidade; MP pede R$ 8,8 milhões

    O juizado da Vara Especializada Ação Civil Pública e Popular negou liberação de um imóvel pertencente ao ex-secretário de Estado de Fazenda Fausto de Souza Faria.

  3. PF cumpre mandados contra advogados e servidores acusados de fraudar INSS; cego é flagrado dirigindo

    Justiça

    (12:59) PF cumpre mandados contra advogados e servidores acusados de fraudar INSS; cego é flagrado dirigindo

    A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (12), a Operação Pandora, que investiga a fraude na obtenção de benefícios previdenciários deferidos judicialmente na comarca de Dionísio Cerqueira (SC).

  4. STJ nega autorização para major em MT passar um mês em Portugal em batizado

    Justiça

    (12:57) STJ nega autorização para major em MT passar um mês em Portugal em batizado

    Ferronato teria oferecido promoção a um tenente coronel, que é delator da Operação Esdras

Copyright @ Gestão Pública News - 2009 - Todos Direitos Reservados