Gestão Pública News

Política

Manobra impede derrubada de decreto do Governo
13 de Setembro de 2018 ás 13:42 -

Do Folhamax Uma manobra da base governista impediu a votação do projeto que visa derrubar o decreto do governador Pedro Taques (PSDB)...

Manobra impede derrubada de decreto do Governo

Do Folhamax

Uma manobra da base governista impediu a votação do projeto que visa derrubar o decreto do governador Pedro Taques (PSDB) para parcelar em até 11 vezes as dívidas do Estado inscritas em restos a pagar.

A expectativa era que a mensagem fosse apreciada em segunda votação na manhã desta quarta-feira (12), durante a sessão extraordinária. No entanto, parlamentares aliados do gestor tucano esvaziaram o plenário impossibilitando a votação por falta de quórum.

Uma nova sessão foi convocada para o final da tarde, mas grande parte dos deputados também não compareceram. Diante disso, a apreciação final do decreto legislativo deve ocorrer apenas após a eleição, tendo em vista que o Parlamento Estadual não realizada mais sessões neste mês. Os deputados Zeca Viana (PDT) e Dilmar Dal’Bosco (DEM), que estão na oposição, afirmam que esta proposta será tratada como prioridade por eles após o período eleitoral, e ainda prometem obstruir votações de projetos de interesse do governo caso sejam impedidos de votar a mensagem.

O deputado estadual Max Russi (PSB) apresentou um parecer contrário ao decreto legislativo que visa derrubar o decreto governador. Ele, entretanto, foi voto vencido, tendo em vista que os deputados Janaina Riva (MDB), Oscar Bezerra (PV) e Pedro Satélite (PSD), demais membros da CCJ, se posicionaram de forma contrária.

Em seu voto, o socialista alegou que a Assembleia não tem poder para derrubar o decreto de Taques e que isso fere a separação dos Poderes. Além disso, utilizou o parecer favorável do conselheiro do Tribunal de Contas Isaías Lopes da Cunha para enfatizar o seu posicionamento.

“Desta forma, estando diante de um decreto autônomo ditado pelo Poder Executivo para tratar do tema que lhe é afeto, diz respeito a gestão fiscal da administração estadual. Qual a lei editada pela Assembleia Legislativa foi violada pelo arco regulamentar do Poder Executivo? A única resposta plausível é: nenhuma”, argumentou o deputado.

A líder da oposição no Parlamento Estadual, Janaina Riva (MDB), rebateu os argumentos de seu colega destacando o fato de que no parecer, o conselheiro aponta também que há R$ 2,2 bilhões em restos a pagar e que o governo não pode contrair novas dívidas. “Como vamos autorizar o governador a fazer despesas que ele não terá caixa para pagar?”, disse.

A deputada ainda denunciou o que chamou de esquema para favorecer algumas empresas na fila de pagamento. “Não tem critério de pagamento. Estão escolhendo quem vai receber”, completou. 

Nenhum Comentário

Últimas notícias

  1. Fux manda para 1ª instância pedido do MBL contra candidatura de Renan

    Justiça

    (17:24) Fux manda para 1ª instância pedido do MBL contra candidatura de Renan

    DA AGÊNCIA BRASIL O ministro Luiz Fux,...

  2. MPE acusa ex-Secopa de direcionar licitação de R$ 100 milhões

    Justiça

    (17:23) MPE acusa ex-Secopa de direcionar licitação de R$ 100 milhões

    MidiaNews O Ministério Público...

  3. TJMT mantém sentença contra agente penitenciário que se apropriou de R$ 777 e celulares de presos

    Justiça

    (17:21) TJMT mantém sentença contra agente penitenciário que se apropriou de R$ 777 e celulares de presos

    Olharjurídico A Segunda Câmara...

  4. Justiça arquiva ação que poderia anular concurso para delegado da PC em MT

    Justiça

    (17:20) Justiça arquiva ação que poderia anular concurso para delegado da PC em MT

    Folhamax A juíza da Vara de Ação...

Copyright @ Gestão Pública News - 2009 - Todos Direitos Reservados