Gestão Pública News

Justiça

Grampolândia Pantaneira ouve delegados acusados de enganar juíza Selma; Taques poderá testemunhar
12 de Março de 2018 ás 13:49 -

DO OLHARDIRETO A próxima sexta-feira (16) é a data limite sugerida pela 11ª Vara Criminal de Cuiabá para que o ex-governador...

Grampolândia Pantaneira ouve delegados acusados de enganar juíza Selma; Taques poderá testemunhar

DO OLHARDIRETO

A próxima sexta-feira (16) é a data limite sugerida pela 11ª Vara Criminal de Cuiabá para que o ex-governador do Estado Pedro Taques (PSDB) preste testemunho sobre a ação penal da "Grampolândia Pantaneira", conduzida pelo juiz mediador Murilo Moura Mesquita e pelos coronéis do Conselho de Sentença.

 

Na ocasião, também serão ouvidos os delegados Alana Cardoso, Rafael Meneguine e Fernando Vasco Spinelli, diretor da Polícia Judiciária Civil (PJC) de Mato Grosso. O processo apura esquema de interceptações ilegais de políticos, advogados e jornalistas pela Polícia Militar do Estado.

 

Conforme os autos, o magistrado ofertou ao govenador as seguintes datas: 02.03.2018 às 8h30, 09.03.2018 às 8h30 , 12.03.2018 às 8h30 e 16.03.2018 às 8h30. Nenhuma das três datas anteriores contaram com a presença do chefe do Executivo Estadual.

 

Na próxima sexta-feira (16) também poderão ser ouvidos os delegados Alana Cardoso e Rafael Meneguine. Eles foram duramente atacados pelo ex-secretário de Estado de Segurança Rogers Jarbas. Durante testemunho na última sexta-feia (09), ele afirmou que Alana, Meneguine e os delegados Alessandra Saturnino de Souza e Flávio Stringueta agiram de má-fé, forjando a "Operação Querubim" para enganar a juíza da Sétima Vara Criminal Selma Rosane Arruda e investigar o governador do Estado Pedro Taques. A motivação seria "particular" e "política".

"Flávio disse que recebeu uma ligação anônima. É mentira. Disse que a ligação é de orelhão. É fácil esconder informações, basta dizer que a denúncia é anônima. Ele cometeu ilegalidade, enganou a juíza Selma Arruda e passou a me investigar”, afirmou Jarbas.

 

O ex-secretário acrescenta. "A Operação Querubim foi uma farsa. A intenção do Stringuetta não era proteger o governador, era investigar o governo, pois ele era contra o governo”.

 

São réus no processo o ex-comandante da Polícia Militar, coronel Zaqueu Barbosa; os coronéis Ronelson Barros e Evandro Lesco, ex-chefe e ex-adjunto da Casa Militar, coronel Januário Batista; e o cabo Gérson Correa Júnior, o único que ainda permanece detido.

Nenhum Comentário

Últimas notícias

  1. Justiça extingue pena de advogado que escondeu processo criminal em MT

    Justiça

    (11:30) Justiça extingue pena de advogado que escondeu processo criminal em MT

    Folhamax O juiz Marcos Faleiros da Silva, da...

  2. Nelson Barbudo já se articula para ser líder da bancada

    Política

    (11:26) Nelson Barbudo já se articula para ser líder da bancada

    GazetaDigital Mesmo sem ainda ter tomado posse,...

  3. Apenas 27 deputados federais foram eleitos com votos próprios em 2018

    Política

    (11:23) Apenas 27 deputados federais foram eleitos com votos próprios em 2018

    PortalMatogrosso A quantidade de eleitos e reeleitos...

  4. Mendes define equipe nesta terça e prepara início dos trabalhos

    Política

    (11:21) Mendes define equipe nesta terça e prepara início dos trabalhos

    MidiaNews O governador eleito Mauro Mendes (DEM)...

Copyright @ Gestão Pública News - 2009 - Todos Direitos Reservados