Gestão Pública News

Política

Acordo libera Estado de pagar empréstimo do VLT até 2029
28 de Dezembro de 2017 ás 22:05 -

Prazo de carência foi renegociado com o BNDES diante da crise de MT

Acordo libera Estado de pagar empréstimo do VLT até 2029

PABLO RODRIGO Diário de Cuiabá

O governo do Estado e a Caixa Econômica Federal (CEF) firmaram acordo para ampliar o prazo da renegociação do financiamento de R$ 1,499 bilhão para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) contraídos pelo governo de Mato Grosso em 2012. Com o acordo, o Estado terá carência de mais quatro anos - até 2022 -, a partir de fevereiro do ano que vem para pagar juros e multas das parcelas da dívida renegociada.

O acordo foi assinado no último dia 22 de dezembro e publicado no Diário Oficial do Estado da última terça-feira (26). Ainda de acordo com o documento, após 2022, Mato Grosso ainda terá mais 72 meses para retomar o pagamento do empréstimo do VLT, após o término da carência para juros e multas.

Ou seja, o Estado só voltará a pagar a dívida junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2029. Com isso, o Estado economizará cerca de R$ 300 milhões só em relação ao VLT.

De 2013 a novembro deste ano, Mato Grosso já pagou R$ 684.340.648,8 milhões do financiamento sem o modal estar funcionando. Deste total, R$ 254.625.071,06 só de juros e multas e R$ 429.715.577,74 de amortização do empréstimo de R$ 1,4099 bilhão.

O pedido para renegociação das dívidas de Mato Grosso ocorre após a aprovação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do Estado - Teto dos Gastos, em novembro pela Assembléia Legislativa. A solicitação é referente às operações de crédito que têm como fonte de recursos o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Só com o VLT, o alívio no fluxo de caixa do Tesouro Estadual será de cerca de R$ 300 milhões nós próximos 4 anos. O Governo Pedro Taques (PSDB) rompeu o contrato com o Consórcio VLT Cuiabá – Várzea Grande de maneira definitiva. O ato foi publicado no Diário Oficial de segunda-feira (04).

O principal motivo seria a denúncia de pagamento de propina a membros da gestão estadual por parte do Consórcio VLT, conforme o ex-governador Silval Barbosa e o ex-secretário Pedro Nadaf revelaram em suas delações, ambas homologadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A delação fez com que a Polícia Federal deflagrasse a Operação Descarrilho, que investiga crimes de fraude em procedimento licitatório, associação criminosa, corrupção ativa e passiva, peculato e lavagem de capitais, em tese ocorridos durante a escolha do modal VLT e a execução.

Além da rescisão, a secretaria das Cidades decidiu pela aplicação de penalidades decorrentes do descumprimento contratual, como a multa no valor de cerca de R$ 147 milhões (10% do valor do contrato), além de indenização dos prejuízos causados ao Estado (passíveis ainda de apuração completa) e a declaração de inidoneidade do Consórcio VLT e das empresas que o compõem.

O secretário das Cidades, Wilson Santos (PSDB), já anunciou que o governo prepara um novo edital no formato Regime Diferenciado de Contratação (RDC) para contratar outra empresa para dar prosseguimento às obras do VLT. A previsão é de que a nova licitação seja lançada no início de 2018.

O orçamento inicial para construção do VLT entre Cuiabá e Várzea Grande é de R$ 1,477 bilhão. Até agora, o Governo já desembolsou R$ 1,066 bilhão. Composto por duas linhas (Aeroporto - CPA e Coxipó – Porto), com total de 22 quilômetros, o primeiro trecho a ser terminado será do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, até bairro do Porto, em Cuiabá, chegando depois ao bairro do CPA. 

Nenhum Comentário

Últimas notícias

  1. Justiça Eleitoral suspende propaganda de Mauro Mendes contra Wellington Fagundes

    Justiça

    (14:46) Justiça Eleitoral suspende propaganda de Mauro Mendes contra Wellington Fagundes

    Olhardireto A Justiça Eleitoral proibiu...

  2. TJ libera deputado para fazer campanha à noite e finais de semana

    Justiça

    (14:43) TJ libera deputado para fazer campanha à noite e finais de semana

    MidiaNews O desembargador José Zuquim...

  3. Justiça mantém bloqueio de R$ 108 mil de deputado federal por dívida com empresário

    Justiça

    (14:37) Justiça mantém bloqueio de R$ 108 mil de deputado federal por dívida com empresário

    Ságuas tentou liberar recursos para poder pagar parcela de crédito rural

  4. TRE aprova candidatura de Selma; escolha de suplente pode barrar chapa

    Justiça

    (14:08) TRE aprova candidatura de Selma; escolha de suplente pode barrar chapa

    Procuradoria Regional Eleitoral afirma que a segunda suplente da juíza aposentada não foi escolhida durante convenção partidária do PSL, o que pode tornar a chapa ilegal.

Copyright @ Gestão Pública News - 2009 - Todos Direitos Reservados